Academia Militar de Venezuela, cuna de la Revolución Bolivariana: La formación de Hugo Rafael Chávez Frías en “La Casa de los Sueños Azules”. 1971-1975

Autores: 
Santiago Giantomasi

Resumo

Desde a implementação do Plano Andrés Bello em 1971, como um programa educacional experimental, a Academia Militar da Venezuela, única instituição de formação básica para oficiais do exército venezuelano, mudou o perfil profissional dos cadetes, o que se reflete em vários membros da primeira turma desse plano, Simón Bolívar II, da qual se destaca o ex-presidente venezuelano Hugo Chávez. Da mesma forma, a Academia Militar da Venezuela foi transformada em um instituto militar universitário com requisitos acadêmicos muito superiores aos das gerações anteriores, concedendo um diploma de bacharel em Ciências e Artes Militares a seus graduados. O objetivo deste artigo é demonstrar, com base na literatura geral teórica, discursos e declarações, como experiências, professores e conteúdo do Plano viabilizaram a possibilidade de que os graduados da Academia Militar da Venezuela interpretassem o papel das Forças Armadas Nacionais da Venezuela como um motor indispensável para a transformação do país. De acordo com essa concepção, para garantir a segurança nacional, era necessário abordar os objetivos de desenvolvimento nacional com um modelo de inclusão social baseado na redistribuição das receitas do petróleo e focado, geopoliticamente, na integração regional, que exigia envolvimento politicamente.