JB XI – Obra de Lima Barreto encerra as Jornadas

22 de Setembro de 2015, por IELA

 


O professor Denilson Botelho, da  Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (EFLCH) da Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP, Campus Guarulhos, encerrará as Jornadas com a análise da obra de um dos mais importantes escritores brasileiros: Lima Barreto. 

Lima foi o crítico mais agudo da época da República Velha no Brasil, rompendo com o nacionalismo ufanista e pondo a nu a roupagem da República, que manteve os privilégios de famílias aristocráticas e dos militares. Em sua obra, de temática social, privilegiou os pobres, os boêmios e os arruinados. Foi severamente criticado por escritores contemporâneos por seu estilo despojado e coloquial, que acabou influenciando os escritores modernistas. Fiel ao modelo do romance realista e naturalista resgatando as tradições cômicas, carnavalescas e picarescas da cultura popular, ao mesmo tempo em que manteve.

Também queria que a sua literatura fosse militante. Escrever tinha finalidade de criticar o mundo circundante para despertar alternativas renovadoras dos costumes e de práticas que, na sociedade, privilegiavam pessoas e grupos.

Lima Barreto é essencial. Um fechamento à altura.