Chile: 78% dizem sim à nova Constituição

26 de Outubro de 2020, por Elaine Tavares


O plebiscito realizado para ouvir a população sobre a necessidade de se constituir uma nova Constituição para o país encerrou com 78,3% dos eleitores dizendo sim, e apenas 21% dizendo não. A região do Atacama foi a que teve maior índice de aprovação com mais de 88% dos votos e a região da Araucanía foi a que teve maior índice de rechaço, com 33%.  Os chilenos fora do país votaram e garantiram um índice de 84,3% para o sim. Também venceu a ideia de uma Convenção Constitucional exclusiva em vez de mista, com 78,9% dos votos. Dos 14 milhões e 800 mil chilenos aptos a votar compareceram sete milhões e 500 mil, ou seja, cerca de 50%, um número considerado alto já que o voto não é obrigatório.

Garantida essa importante demanda do povo chileno, agora começam novas batalhas para a garantir a representatividade de todas as forças no processo. Entre o povo Mapuche, sistematicamente violado nos seus direitos à terra e autonomia, as opiniões se dividem. Alguns grupos acreditam que o Chile pode avançar na compreensão das suas demandas e há outro que pensam que esse não será o caminho, e sim a luta direta. 

Por agora, o sentimento é de alegria, afinal, com a Nova Constituição o Chile deverá abandonar todos os resquícios da velha carta, escrita durante a ditadura. Os avanços reais certamente virão se os trabalhadores, estudantes e indígenas não esmorecerem e continuarem nas ruas. 

Para além dos prognósticos sobre o que virá as gentes chilenas ontem à noite saíram às ruas para cantar e celebrar. A ditadura de Pinochet arrancou muito de vidas e sonhos, pisou esperanças, destruiu famílias, assassinou, desapareceu gente. A vitória do sim foi também um não rotundo a um tempo tão ruim que - apesar de tudo - ainda vive na cabeça de muitos como o melhor dos tempos. Nas manifestações de rua, vários retratos de Pinochet foram queimados, enquanto outros do ex-presidente deposto pelo golpe, Salvador Allende, eram levantados em júbilo. Foi muita dor, mas a roda do tempo girou. Pachakuti, novo giro, novas manhãs. Que o Chile possa ficar melhor.