El Salvador e a vida pós guerra civil

14 de Outubro de 2016, por IELA

Guerrilha resistiu por mais de uma década
Guerrilha resistiu por mais de uma década

O Núcleo de Estudos em História da América Latina (NEHAL), coordenado por Waldir Rampinelli e Elvis Poletto realiza no próximo dia 17 de outubro, às 10h, no Mini-Auditório do CFH, a conferência  "As histórias silenciadas do Pulgarcito: reflexões sobre a guerra civil e o pós-guerra em El Salvador". 

A convidada para essa confer~encia é a salvadorenha Christy Beatriz Najarro Guzmán, que é doutoranda em Letras pela UFSC.

O país da América Central viveu de 1980 a 1992 uma violenta guerra civil na qual o estado combateu a Frente Farabundo Martí de Libertação Nacional. Polarizado depois do assassinato de Dom Oscar Romero em 1980, o conflito ceifou milhares de vidas e jogou o pequeno país numa escalada de violência que ainda hoje tem suas consequências.

A Guerra Civil terminou com a assinatura do Acordo de Paz de Chapultepec (México), em 16 de Fevereiro de 1992, mas a violência ainda é uma marca forte na sociedade. 

Agora, quando se vive um tempo de negociação para o processo de paz na Colômbia, no qual o resultado do plebiscito apontou para o não ao acordo firmado entre governo e parte da guerrilha colombiana - FARC, a recente história e o processo de El Salvador certamente pode apontar os caminhos percorridos naquele país que redundaram no armistício. Outrossim é  necessário conhecer e aprofundar os desdobramentos do fim da luta armada em El Salvador e suas consequências.