Eleições nos EUA - o que não foi lido sobre as primárias

3 de Fevereiro de 2016, por Néstor García Iturbe

Sanders - por um triz
Sanders - por um triz

As eleições primárias em Iowa, dos chamados partidos republicano e democratas , celebradas no dia primeiro de fevereiro foram coberta amplamente pela imprensa estadunidense e de outros países, incluindo Cuba. 

O enfoque majoritário sobre esse evento trata de ressaltar algo que é uma grande mentira, o chamado “processo democrático” mediante o qual os estadunidenses, de ambos os partidos políticos, selecionam o candidato à presidência para depois, mediante o que chamam de "eleições livres" eleger um novo presidente. Quando isso se faz, a farsa termina. 

Entre as "propriedades" que alguns atribuem às primárias de Iowa está a que o ganhador das mesmas, em cada um dos partidos, é praticamente seguro que seja o aspirante à presidência pelo dito partido. Vejamos como se comporta isso. 

Enquanto partido democrata isso até pode tomar-se como bom. Durante as primárias de 1996 (Clinton), 2000 (Gore), 2004(Kerry), 2008 (Hillary pelos votos preferenciais da cúpula partidária, que depois mudaram para Obama), 2012(Obama) foram ganhadores em Iowa e posteriormente aspirantes à presidência. 

Já no caso do partido republicano não se pode tomar como um indicador aceitável devido a que os resultados obtidos são em 1996 (Dole), 2000 (Bush), 2004 (Bush), 2008(Huckabee, Mc Cain ficou em quarto lugar), 2012 (Santorum, Romney ficou em segundo). Nos últimos anos não tem sido precisamente o ganhador em Iowa o que concorre para a presidência entre os republicanos. 

Segundo o que foi publicado nas agências noticiosas estadunidenses ( e repetido por outras) foi de que a vitória no campo dos democratas ficou na mão de Hillary por uma estreita margem. Ela com 50,2% e Sanders com 49,8%.

No campo republicano os resultados foram dados como surpreendentes (e isso também é repetido pelas demais agências). Ted Cruz obteve 28% dos votos, Donald Trump ficou com 24%, Marco Rubio com 23% e , mais distante, mas ainda no páreo, Ben Carson com 9,3% seguido por Rand Paul e Bush. De acordo com o que aconteceu nos últimos anos, no campo republicano não há segurança sobre nada. 

Analisemos outros fatores que tratam de esconder. Cada um dos chamados partidos conta em Iowa com aproximadamente 600 mil pessoas registrada como membros do partido. Não esqueçam esse número. Isso totaliza um milhão e 200 mil pessoas e no ano de 2010, segundo o Birô do Censo dos Estados Unidos, a população em idade de votar era de dois milhões e 318 mil pessoas. 

Todos sabem que em qualquer eleição nos Estados Unidos é registrada uma grande abstenção, forma de protesto daqueles  que estão seguros de que não vão viver melhor, seja com um presidente ou outro, então não se importam em votar. Regularmente a abstenção em nível nacional está em cerca de 50% da população, tal como re reflete em Iowa entre a população total e os registrados nos partidos. 

A tudo isso deve ser agregado que no dia das primárias, primeiro de fevereiro, o estado e outros estados vizinhos estavam sofrendo uma das mais violentas tormentas de neve da temporada, que por suas características foi denominada de “Snowzilla”.  Outro motivo para não sair de casa e para não votar. 

Vejamos agora quantos dos 600 mil eleitores registrados em cada partido se movimentaram e enfrentaram todas as dificuldades para poder votar.

No partido republicano:

Cruz          28%   43.550 votos
Trump       24%   38.358 votos
Rubio        23%   36.065 votos
Carson        9%   14.464 votos
Bush            3%     5.000 votos

Estas cifras e mais alguns outros votos que se realizaram totalizam 155.535, o que representa apenas 25,9% dos inscritos republicanos. Somente uma quarta parte deles votou.

Talvez isso possa dar uma ideia clara de como funciona o que esses senhores chamam de “democracia representativa”, que, em realidade, é um sistema caduco e armadilhado para garantir o poder à classe dominante. 

Vejamos agora como se comportou o assunto entre os democratas. 

Clinton    50,2 %     666  votos     22 delegados a la convención
Sanders   49,8 %     661 votos     21 delegados a la convención

Das cerca de 600 mil pessoas registradas como democratas, apresentaram-se para dar seu voto apenas 1.327 ( conforme Martinoticias.com.  fevereiro 01, 2016 ), ou seja, 0,22%, um verdadeiro escândalo abstencionista.  Não obstante isso, foram repartidos os 43 delegados à convenção como se tudo tivesse acontecido normalmente. As "eleições livres" e a "democracia participativa" segue adiante. 

Se alguém leu alguma análise como essa sobre as eleições nos Estados Unidos, em algum órgão de imprensa, por favor mandem-me para que eu possa aprender.  Espero que agora fique mais claras as circunstâncias que motivaram Hillary e Ted Cruz a serem declarados como os vencedores de Iowa.  Esta cena se repete em cada primária.