Escritor argentino busca a compreensão da melancolia em seu novo romance

13 de Setembro de 2017, por Renisse Ordine


O argentino, Carlos Daniel Aletto, publica no Brasil o seu recente livro " Anatomia da melancolia" (Anatomía de la melancolia). O escritor e ensaísta é considerado pela crítica um inovador na literatura de ficção, que estava carente de boas obras neste segmento, que atraíssem o público.

Com cinco livros já publicados, Carlos Daniel chega com "Anatomía da Melancolia", lançado em 2017, entrando no mercado brasileiro, já com um honrado título literário, o Prêmio de Romance do Ano, pelo jornal "La Nación"; e também elogiado pelos escritores argentinos Ricardo Piglia e Rafael Bielsa. 

Um livro curto, porém com grande inspiração em Borges, que assim como o autor, sofreu esse mal espiritual, que pode ser comparado hoje com a depressão. E, segundo o autor, buscar a compreensão é um caminho para por  um fim, ou conviver com esse problema considerada a "Bílis Negra". O seu entrosamento com a leitura borgiana é tão intensa, que a epígrafe do livro é dedicada a esse mestre da literatura argentina, que foi Jorge Luis Borges.

Para escrever o livro o autor baseou-se no antigo livro homônimo de Robert Burton, que em 1621 abordou o  assunto de modo mais acadêmico e filosófico. Porém, conforme divulgado, Alleto disse que foi necessário modernizar o assunto, para que  o enredo, de alguma maneira,  ajude aos leitores a fecharem essa ferimento que assola a humanidade. 

A história envolve um ambiente histórico com fantásticas narrativas sobre Andrés Vasalio, um médico belga, que foi condenado a fogueira no século XVI, época da Inquisição. Quando regressa da Terra Santa, lugar ao qual foi enviado pelo rei Felipe II depois da condenação, sofre um naufrágio. E a trama se  desenvolve em sua peregrinação. 

O romance foi lançado no Brasil, no dia 26 de abril, no Instituto Cervantes, em São Paulo. E de acordo com Rafael Bielsa, o livro é um monumento para a imaginação.