Evangelho e política

28 de Junho de 2016, por Tiago J J Alves


Numa cidade recortada por uma lagoa exuberante, habituada com o barulho de canoas, impregnada pelo cheiro de peixes e crustáceos, Imaruí é um lugar glorificado pela natureza, onde o tempo parece que parou. Espaço secular, açambarcado por guerras e "quilombos", constituído de tradições indígenas, africanas e açorianas, uma elite local subjugou e controlou o poder político durante décadas. Corrupção, assédio, negligência, violência, pobreza, carestia, racismo, tais categorias assombrosas foram rotineiras na pacata e bela cidade do litoral catarinense.

O tempo, soturno e silencioso, viu o assassinato da Lagoa, o desaparecimento gradual das tradições culturais e das riquezas marinhas, o desrespeito à memória e à própria história de um lugar tão fascinante. A natureza, amoral, não julgou, nem condenou os responsáveis. De um lado, um grupo político contribuiu para o aceleramento dessas mazelas, de outro, um padre e uma teologia contribuíram para o refreamento dos mandos e desmandos desses “coronéis”. Não se tratou de uma batalha mítica, mas, de um embate social e político da vida real, desses que acontecem em múltiplos espaços da história. O povo, à sua maneira, encontrou sua solução, comprovou que nenhuma “tirania” é eterna.

Em "Evangelho e Manifesto na Religião e na Política". Waldir Rampinelli, meu amigo, orientador e professor, aborda um pedaço valioso da história de Imaruí: as controversas relações entre religião e política, numa determinada altura do Século XX. Escrito com sensibilidade, criticidade e senso histórico, é uma narrativa que aborda a encruzilhada que encurrala todo ser humano: de que lado você está? As vicissitudes da nossa vida testam nossa ideologia, nossa sensibilidade, nosso foro íntimo nos empurra para fazermos nossas escolhas. Num mundo dividido entre poderosos e acabrunhados, o personagem principal dessa micro história de Santa Catarina tomou partido, no livro ele nos confessa parte de suas experiências e dilemas.

O lançamento do livro será dia 8 de Julho, às 19h30min, no antigo prédio da FAED. O evento ainda contará com uma apresentação da banda Esporão de Bagre.