Fórum sobre o Processo de Paz na Colômbia

7 de Abril de 2015, por IELA

Acontece em Florianópolis, no dia 15 de abril , às 19h, no Auditório Henrique Fontes, CCE/UFSC, a conferência de Sérgio Quintero, da Marcha Patriótica, da Colômbia. A atividade faz parte do processo de discussão que culminará em junho, no Uruguai, no II Fórum pela Paz na Colômbia. Esse pré-fórum que tem por tema “Processo de Paz, Diálogos, Lutas e Contradições” é organizado por uma série de entidades sindicais, populares e políticas da cidade e visa informar com mais segurança sobre o processo de paz desencadeado há três anos, envolvendo o governo colombiano e  as Farcs, mediado pelo governo cubano.

A Colômbia vive uma guerra civil que teve seu estopim em 1948, com o assassinato de Jorge Gaitán, então candidato progressista às eleições presidenciais. Amados pelas gentes, sua desaparição violenta desencadeou um processo de rebeliões e violências estatais que se aprofundaram nos anos 60, com o fortalecimento de grupos organizados visando a libertação nacional, tais como as FARCs e a FLN. A guerrilha sobrevive apesar de todos os ataques dos paramilitares e dos mercenários a soldo, financiados pelos Estados Unidos.

Por outro lado, décadas de resistência e de luta tem envolvido a população em um redemoinho que parece não ter fim. Há um desejo de paz, uma vez que ao longo dos anos o país tem perdido seus melhores filhos em ações que podem ser caracterizadas como “terrorismo de estado”. Incontáveis são os estudantes, sindicalistas e líderes populares que são assassinados e desaparecidos por obra do exército colombiano ou de grupos mercenários que representam ora os interesses do estado, ora os interesses dos narcotraficantes. O resultado desse processo ultrapassa os quatro milhões de pessoas desalojadas de suas terras, expulsas de seus lugares de moradia, que vagam pelo país ou migram para outros espaços na América Latina. Os que não tem como se mover acabam morrendo nos fogos cruzados.

Em todo o mundo, lutadores sociais se juntam aos esforços de paz. A chamada “mesa de conversação” está em andamento, embora lenta. As FARCs já mostraram sua boa vontade e definiram um cessar fogo, mas as ações de governo e paramilitares continuam. É um tabuleiro delicado que exige confiança de todos os lados, coisa difícil de lograr, uma vez que as experiências passadas não são boas. Em duas ocasiões, quando guerrilheiros entregaram suas armas, foram depois perseguidos e assassinados. E ninguém quer que isso se repita, por isso os passos são dados de maneira muito cuidadosa.

Enquanto a mesa segue, em todo mundo são realizados encontros que visam conhecer a realidade e prestar solidariedade ao povo colombiano. É o caso desse pré-forum. Para quem está nas mesas de negociação e na luta cotidiana, esses apoios são como um vento fresco na fervura da batalha e ajudam na correlação de forças, daí a sua importância.

A Colômbia quer a paz, mas ela não pode ser uma imposição governamental. Ela tem de ser uma construção firme e segura, que garanta a segurança de todos os envolvidos nas lutas.

Conferência com Ségio Quintero – Marcha Patriótica
Onde: Auditório do CCE/UFSC
Quando: 15 de abril - 19h