A história na rua

11 de Setembro de 2018, por Elaine Tavares


O Iela reuniu hoje pela manhã representantes do Sindicato dos Eletricitários (Sinergia) e a Editora Insular para discutir um projeto de incentivo à leitura crítica. Conforme explicou o professor Waldir Rampinelli a proposta é aproveitar a ideia desenvolvida por movimentos sociais e intelectuais mexicanos, a do “Leer em Libertad”. Esse projeto mexicano leva o debate da história nacional para a rua, sempre com aulas públicas, ministradas por professores e intelectuais, seguidas de debates e venda de livros. A intenção é sempre vender livros a preços bem baratos, para garantir que  aquele que queira ler, possa levar o livro para casa. 

A ideia foi muito bem recebida pelo Sindicato e pela Editora, que já se incorporam como parceiros. A Insular entrando com livros e o sindicato garantindo a estrutura da aula pública. Segundo Marinho, do Sinergia, é fundamental nesse momento da história nacional, recuperar a rua para o trabalho de formação. “E garantir à população informação de qualidade e livros passa a ser estratégico na formação crítica”. Ele lembrou que o Sinergia já desenvolve desde há 30 anos propostas no campo cultural, justamente por entender que o trabalhador não pode ficar alienado no mundo do trabalho. 

O projeto “história na rua” será realizado quinzenalmente, em frente à Catedral. Sempre com aulas sobre algum tema da história nacional, catarinense ou florianopolitana, bem como sobre outras temáticas que sejam importantes para a população. As aulas terão duração de 50 minutos e contarão com debates e perguntas. Em seguida, as pessoas poderão ter acesso a livros da temática discutida, ou outros assuntos. Sempre com preços acessíveis. 

A estreia do projeto deverá ser em outubro.