Marxismo, Antirracismo e projeto revolucionário

31 de Março de 2021, por Mario Soares Neto


August H. Nimtz Jr. nasceu em 1942 e cresceu na 7ª ala, um bairro da classe trabalhadora de Nova Orleans, nas circunstâncias históricas do regime de segregação racial com base nas Jim Crow Laws, nos Estados Unidos da América. Educado no seio de uma família engajada politicamente, o seu pai que era um rebelde, “lhe forneceu suas raízes radicais”. Sua mãe era professora, pós-graduada pela Universidade de Chicago e membro ativa do sindicato de professores negros, atuando, principalmente, na luta contra o racismo. Ambos ajudaram na fundação das primeiras fileiras da National Association for the Advancement of Colored People (NAACP) [Associação Nacional para o Avanço das Pessoas de Cor], em Nevada.

August Nimtz despertou cedo para a militância política. Em 1957, aos 15 anos de idade, quando Gana, na África Ocidental, liderada pelo revolucionário marxista e pan-africanista Kwame Nkrumah (1909-1972) conquistou sua independência, toda a sua família comemorou efusivamente. Anos mais tarde, seus pais lhe perguntaram por que ele havia se tornado comunista, nesta oportunidade afirmou que seus familiares foram os verdadeiros responsáveis pelo seu ativismo. As ações de solidariedade internacional em decorrência do Massacre de Shaperville, ocorrido em março de 1960, na África do Sul, também foram muito importantes na sua trajetória política e intelectual. Em palestra que realizou neste período, Nimtz comparou o regime do apartheid sul-africano ao sistema Jim Crow em Nova Orleans. 

Leia na íntegra