Milhares protestam contra Trump em Washington

2 de Maio de 2017, por Elaine Tavares

150 mil pessoas marcharam contra Trump
150 mil pessoas marcharam contra Trump

Ao se completarem os 100 dias de governo do novo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, milhares de pessoas realizaram uma marcha em Washington no último dia 30 de abril, e garantiram cercar a Casa Branca. No centro dos protestos o rechaço à posição de Trump sobre a questão do meio ambiente. Segundo os manifestantes o novo presidente está em constante ataque contra o planeta. 

A marcha foi chamada de “Caminhada do povo pelo clima”, mas acabou incorporando uma série de outras demandas dos trabalhadores. Segundo registros da mídia comercial o protesto reuniu mais de 150 mil pessoas que empunhando cartazes e faixas avançaram desde o Capitólio até a residência oficial do presidente.

Participaram ambientalistas, indígenas, estudantes, aposentados, sindicalistas, funcionários federais, professores, os soldados veteranos em luta pela paz, padres franciscanos e trabalhadores de todas as categorias. Muitos viajaram desde cidades distantes para engrossar a marcha. Também outras grandes cidades fizeram atos para marcar o dia.

O movimento insiste para o governo de Donald Trump pare com a exploração de petróleo nas terras federais e nas duas costas marítimas. O presidente tem ameaçado tirar os Estados Unidos dos acordos de
Paris e assinou várias ordens executivas nas quais reduz ou elimina normas importantes de proteção ambiental, abrindo as portas para que as empresas façam o que quiserem sem qualquer cuidado com o ambiente. E como que para comprovar que a população em protesto estava com a razão, a cidade de Washington marcou naquele dia um calor fora do normal, com o Departamento de Segurança emitindo uma alerta de hipertermia.

A população em marcha contou ainda com a presença de artistas famosos como Leonardo de  Caprio, que tem sido incansável na luta contra a construção do oleoduto nas terras Sioux.  Aos gritos de “sem-vergonha, sem-vergonha” os caminhantes resistiram bravamente ao calor. “Esse planeta é tudo o que temos”, diziam. Houve uma cerimônia na qual todos sentaram no chão e deram 100 golpes contra o coração para expressar o completo repúdio ao regime de governo que ameaça a terra e promovo o ódio entre as nações. 

Foi uma movimentação que há muito não se via nos Estados Unidos. Trump não se pronunciou sobre o protesto.

Leonardo de Caprio na luta pelo planeta
Leonardo de Caprio na luta pelo planeta