Paraguai: presidente assume com manifestações de trabalhadores

15 de Agosto de 2018, por Elaine Tavares


Assumiu hoje a presidência do Paraguai, Mario Abdo Benítez (46 anos), do Partido Colorado. Ele ganhou as eleições em abril, superando o candidato oficialista, apoiado pelo agora ex-presidente Horacio Cartes. Ainda assim, há pouca coisa para esperar desse jovem político que deve governar alinhado aos interesses da classe dominante e do imperialismo estadunidense. 

Seu começo na política foi junto ao neto do ex-ditador Stroessner e atualmente desempenhava a função de senador da República e apoiava a política de Cartes até romper com ele em 2015. A partir daí se fez oposição. Elegeu-se com o discurso de que vai eliminar a corrupção e a impunidade.

O país que recebe tem problemas demais. As taxas de pobreza extrema estão em mais de 26%, o que significa mais de um milhão e 800 mil pessoas vivendo em condições precárias. O desemprego está em 6% e a taxa de desocupação cresceu. Cartes deixa uma dívida pública de mais de sete bilhões de dólares, aumentada em 85% só no último ano. A concentração de terra é grande e há grande tensão no campo.

Os trabalhadores paraguaios receberam o novo governo com muita luta nas ruas. Hoje, enquanto Mario tomava posse eles se manifestaram realizando uma marcha até o centro de Assunção. Apresentaram suas demandas por terra, trabalho, justiça, liberdade e educação. Também se manifestaram contra a entrega das represas de Yacyretá, Itaipú e contra os fundos de pensão. 

Para os representantes do Congresso Democrático do Povo, organizador da marcha, esse governo que assume agora é um governo de fraude, e contra ele estará o poder popular.