"Paramos para mudar tudo"

9 de Março de 2018, por Elaine Tavares

Espanha mobilizou milhões de mulheres na maior manifestação feminista do mundo
Espanha mobilizou milhões de mulheres na maior manifestação feminista do mundo

A Espanha foi o país que registrou as maiores manifestações de mulheres nesse oito de março, dia em que se celebra o Dia Internacional das Mulheres. Milhões delas foram para a rua no que chamaram de “primeira greve feminista”, na qual não apenas denunciaram as violências e discriminações que sofrem como mulheres, mas também o que sofrem como trabalhadoras, unindo o debate de gênero e classe.

Em todo o mundo também se registraram atos e manifestações massivas, inclusive nos países árabes. Istambul, na Turquia, registrou presença maciça das mulheres, reivindicando direitos. Até mesmo na Arábia Saudita onde as mulheres são extremamente tolhidas, várias delas saíram para correr, direito que conquistaram apenas nos últimos meses. Como lá é proibido às mulheres saírem sozinhas, não se registraram marchas, mas o ato de correr – único que podem realizar sem vigilância – já por si só uma forma de protestar. 

Na América Latina, as maiores concentrações aconteceram na Argentina, onde a luta das mulheres é bastante forte. No Brasil, a cidade de São Paulo foi a que reuniu mais gente, mas em todas as grandes e médias cidades houve manifestação. Florianópolis mobilizou-se durante todo o dia com debates, apresentações artísticas e marcha ao final dia. 

As mulheres avançam na sua batalha. Algumas ainda lutam por direitos básicos, como as sauditas, e outras buscando garantir novos direitos na nova conjuntura mundial. As questões ligadas ao mundo do trabalho crescem em importância na pauta feminista, já que a equiparação salarial ainda é uma realidade distante. 

São Paulo foi a cidade brasileira que reuniu mais mulheres na rua
São Paulo foi a cidade brasileira que reuniu mais mulheres na rua

Florianópolis teve o dia inteiro de atividades
Florianópolis teve o dia inteiro de atividades