Planeta.doc e a batalha pelo bem viver

4 de Outubro de 2018, por IELA


A jornalista do Iela, Elaine Tavares, estará presente na II edição do Planeta.doc Conferências, que acontece no dia 16 de outubro, no Centro de eventos da UFSC. A atividade discute experiências sócio-ambientais que respondam a combinação das lutas pela natureza e pelo bem-viver de homens e mulheres. A intenção é mostrar  a percepção de que há limites do planeta e que a degradação causada pelo modelo de desenvolvimento capitalista não apenas causa graves desastres ecológicos, mas também provoca consequências humanas dramáticas. Assim, o evento junta pessoas e experiências para levantar os problemas e apontar saídas. 

Conforme os organizadores "o PLANETA.doc Conferência abre espaço para ideias de renomados pensadores e pretende contribuir com o necessário debate sobre a preservação da vida na Terra por meio de conferências presenciais, divulgadas via redes sociais". E, esse ano, se dispõe a pensar a cidade de Florianópolis, com a participação de pessoas ligadas a projetos locais, bem como o tema Oceanos e Biodiversidade .  

O III Planeta.doc Conferência, em parceria com a UFSC e o Veleiro ECO, acontece no dia 16 de Outubro, no Centro de Cultura e Eventos da UFSC, das 13h às 22h, e contará com cerca de 35 conferencistas nacionais e internacionais. As inscrições já estão abertas e deverão ser feitas nesse endereço eletrônicoHaverá certificado para quem se inscrever nesse endereço eletrônico. 
 
O evento integra as ações da Semana Nacional De Ciência e Tecnologia - MCTIC e SEPEX/UFSC – 2018 e a 5ª Edição do Festival Internacional de Cinema Socioambiental PLANETA.doc, que será realizado entre os dias 25/10 a 25/11/2018, exibindo cerca de 50 filmes socioambientais de todo mundo e em vários locais. 
 
Realização: UFSC, Veleiro ECO, PLANETA.doc
Patrocínio: IMA (Instituto de Meio Ambiente)
Apoio: LOGO/UFSC, Centro Sapiens, Costão do Santinho
Apoio Institucional: UDESC
 
O quê? III Planeta.doc Conferência
Quando? 16 de outubro, terça-feira
Hora? 13h às 22h
Onde? Centro de Cultura e Eventos da UFSC – Garapuvu
 
CONFERENCISTAS  - A VOZ É DE FLORIPA
 
1. Alencar Deck Vigano
AMOCAM – Associação de Moradores do Campeche
 
Alencar Valmor Vigano, ou Deck, é administrador e especialista em gerenciamento de projetos. Natural de Florianópolis e apaixonado por música, nasceu, cresceu e vive na Praia do Campeche, lugar que aprendeu a amar, respeitar e defender. Atualmente faz parte da diretoria da AMOCAM – Associação de Moradores do Campeche, entidade comunitária fundada há 31 anos e que é reconhecida pelas grandes lutas em prol do meio ambiente e de uma cidade mais humana e orgânica. Acredita que cada bairro, cada pedaço desta cidade, possui seus “locais sagrados” e que estes locais devem ser preservados e defendidos da especulação imobiliária. E como se faz isso? Com o engajamento e participação da comunidade!
 
2. Paulo Ferroli 
Sustentabilidade Aplicada em Projetos
 
Engenheiro mecânico, com mestrado em engenharia de produção na área de design de Produto e doutorado em engenharia de produção, é professor associado do curso de design de produto da UFSC. Tem experiência na área de desenho industrial em materiais industriais, processos de fabricação e metodologia de projetos, com ênfase em sustentabilidade e eco-design. É co-editor da revista Mix Sustentável e co-organizador do evento ENSUS - Encontro de Sustentabilidade Aplicada em Projetos.
 
3. Cintia Aldaci da Cruz
Revolução dos Baldinhos
 
É uma das coordenadoras do Projeto A Revolução dos Baldinhos, iniciativa comunitária de gestão de resíduos orgânicos localizada no bairro Monte Cristo, em Florianópolis, que disseminou a agricultura urbana por meio da compostagem. O Projeto surgiu da necessidade de solucionar um problema grave de saúde pública relacionada ao descarte indevido do lixo no bairro e revolucionou a comunidade, trazendo saúde, prosperidade e alegria a mais de 150 famílias da região. 
 
4. Carolina Andion
Observatório de Inovação Social
 
Carolina Andion é doutora em ciências humanas pela UFSC, com pós doutorado em Economia Social pela Universidade de Valência na Espanha. Tem mais de 25 anos de experiência como professora, pesquisadora e gestora de projetos em temas relacionados à sociedade civil, desenvolvimento territorial sustentável e inovação social, com diversas publicações internacionais nessas áreas. É professora associada do departamento de administração pública da ESAG/UDESC, líder do Núcleo de Inovações Sociais na Esfera Pública (NISP) e co-coordenadora do Observatório de Inovação Social de Florianópolis (OBISF).
 
5. Sonia Corina Hess
Poluição e doenças
 
Doutora em Química (1995) pela UFSC com pós-doutorados em Química (IQ-UNICAMP, Universitá Cattolica del Sacro Cuore, Roma, Universidade Federal de Santa Catarina - MIP/CCB). Atualmente é professora titular da UFSC, Campus de Curitibanos. Tem experiência na área de Química, com ênfase em Química Orgânica, e na área de Engenharia Ambiental, com ênfase em Saneamento Ambiental. Faz parte do Grupo de Pesquisa em Análise Socioambiental no Planalto Catarinense. Foi organizadora do livro "Ensaios sobre Poluição e Doenças no Brasil".
 
6. Luiz Salomão Ribas Gomez
Centro Sapiens
 
Com pós doutorado em Branding na IADE-Creative University (Lisboa) e em Economia Criativa e Maker Spaces na Saxion University (Enschede - Países Baixos), coordena o Laboratório de Orientação da Gênese Organizacional - LOGO e também o projeto Centro Sapiens, onde está o Cocreation Lab (pré-incubadora de Economia Criativa). É co-cordenador da REDE PRONTO3D, rede de FabLabs associada ao MIT . É Project Leader da metodologia TXM Design e editor da revista de divulgação científica e-Revista LOGO. 
 
7. Gustavo Kogure 
UDESC Lixo Zero
 
Gustavo Kogure é servidor da UDESC, atualmente lotado na Secretaria de Cooperação Internacional. Participou da implementação do Programa UDESC Sustentável em 2017 e coordena o Projeto UDESC Lixo Zero nos 12 Campus da Instituição. O projeto visa transformar a UDESC em uma instituição lixo zero até 2022. A UDESC é a primeira instituição de ensino superior no Brasil a incorporar esta meta e a integrar a rede Internacional de Cooperação Acadêmica Lixo Zero, uma iniciativa de âmbito global com ação local, realizada em parceria com o Instituto Lixo Zero Brasil. 
 
8. Eduardo Elias Rodrigues
Destino Certo
 
Permacultor desde 2005 e formado em filosofia pela UFSC em 2007, Eduardo criou a Destino Certo para resíduos orgânicos. São 5 anos compostando anualmente mais de 100 toneladas de restos de comidas que são transformados em terra fértil para produção de alimentos sem veneno, promovendo a consciência ecológica e a qualidade de vida sustentável.
 
9. Geovana Narciso
Banco de Tempo
 
Engajada em causas ambientais e de economia solidária desde os 17, Geovana Narcizo participou do movimento pioneiro em agricultura urbana de Brasília plantando com amigos uma agrofloresta urbana e apoiando a rede de hortas comunitárias da cidade. Em Florianópolis cocriou o Banco de Tempo que hoje tem milhares de associad@s e o equivalente a 5 anos em horas trocadas. Geovana auxilia o surgimento de novos Bancos pelo Brasil porque acredita que através da colaboração podemos e já estamos desencadeando uma revolução.
 
10. João Carlos De Godoy Moreira
Oeko Bioplásticos e Biomimetic Eco-Materiais
 
Engenheiro de Materiais, formado pela UFSCar, possui 25 anos de experiência nas áreas obtenção, produção e transformação de materiais poliméricos de origem petroquímica. Dedica-se ao desenvolvimento de novos materiais obtidos a partir de fontes renováveis de matérias primas e resíduos agroindustriais para desenvolvimento de novos produtos que possam fechar seu ciclo de vida em processos e meios biológicos como compostagem e biodigestão. Através de suas empresas Oeko Bioplásticos e Biomimetic Eco-Materiais, dedica-se a produzir materiais bioplásticos e diversos tipos de embalagens e utensílios.
 
11. Andrea de Oliveira
Instituto Çarakura
 
Pedagoga, permacultora, sócio fundadora da ONG Ambientalista - OSCIP Instituto ÇaraKura, na qual desenvolve projetos e atividades de Educação Ambiental, pesquisa e aplica tecnologias sociais de baixo custo e baixo impacto ambiental voltadas ao planejamento sustentável do território rural e urbano. Membro da Comissão de Educação e Comunicação da União Internacional de Conservação da Natureza -IUCN e membro da comissão de Gênero e Biodiversidade do Pacto pela restauração da Mata Atlântica.
 
12. Padre Vilson
Instituto Padre Vilson
 
Padre Vilson Groh, 64 anos é mestre em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina e presidente do Instituto Pe. Vilson Groh que presta assessoria técnica e promove a articulação das OSCs na dimensão social, educacional e financeira, que tenham foco na defesa e garantia de direitos da população empobrecida. Este padre brusquense que vive há 37 anos na periferia da capital catarinense, no Monte Serrat, Florianópolis vem derrubando muros e construindo importantes pontes simbólicas.
 
13. Isadora Abrantes Bertoli
UFSC SEM PLÁSTICO
 
Acadêmica do curso de nutrição da UFSC, imensamente apaixonada pela natureza em todas as suas formas. Diante de sua percepção do impacto ambiental constantemente, gerado dentro da Universidade, fundou o projeto UFSC SEM PLÁSTICO, inteiramente formado por estudantes que sonham e lutam por uma universidade livre de plástico.
 
14. Maria Gabriela Knapp
Clube Brotei
 
Colaboradora do Clube Brotei, membro do Núcleo de Educação Ambiental da UFSC (NEAmb), conselheira do Instituto Lixo Zero Brasil e membro da diretoria do Instituto Ecoletivo. Atua na disseminação de práticas agroecológicas e gestão de resíduos sólidos, e acredita que é possível termos ambientes e cidades mais limpas e organizadas, que produzam alimento e que sejam socialmente justas e ambientalmente equilibradas.
 
15. Elaine Tavares
IELA e Rádio Campeche 
 
Jornalista e educadora popular, atuando há 30 anos na comunicação comunitária/popular. Coordena a comunicação no Instituto de Estudos Latino-Americanos da UFSC e é uma das diretoras da Rádio Comunitária Campeche, onde coordena há 12 anos os programas Campo de Peixe e Chão de Terra. É co-editora da Revista Brasileira de Estudos Latino-Americanos - REBELA. Edita os blogs "Palavras Insurgentes" e "Povos Originários de Nuestra América”.
 
16. Clarissa Stefani
VIA Estação Conhecimento
 
Pós-Doutora, Líder do Grupo VIA Estação Conhecimento, Professora no Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento (Mestrado e Doutorado) e no Mestrado Profissional em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para a Inovação (PROFNIT) na UFSC. Na área científica possui mais de 160 artigos publicados e é revisora de periódicos nacionais e internacionais. É vice-presidente da Rede Veracidade (Rede de Monitoramento Cidadão) que busca acompanhar o desempenho da cidades em temas que impactam a sustentabilidade e a qualidade de vida dos seus cidadãos. 
 
17. Marquito
Vereador
 
Eleito vereador por Florianópolis em 2016, foi autor e aprovou junto à Câmara o PL que cria uma Política Municipal de Agroecologia e Produção Orgânica na cidade (Lei 10.392)e o PL que reconhece a Maricultura familiar, a pesca artesanal e o extrativismo de berbigão, como atividades de interesse social e econômico (Lei 10.394), possibilitando condições para o desenvolvimento sustentável dessas atividades no município.
 
18. Letícia Zampieri
ONG R3 Animal
 
Bióloga e vice-presidente da Associação R3 Animal, ONG que atua há 18 anos na área de reabilitação de animais selvagens, em projetos, pesquisas e educação ambiental. Letícia iniciou suas atividades na área ainda durante a graduação como voluntária, trabalhando com a reabilitação de animais silvestres. Atualmente é responsável pelo programa de voluntariado da R3 Animal e coordena atividades de educação ambiental buscando sensibilizar o público a respeito dos impactos negativos que o nosso modo de vida causa à vida selvagem
 
19. Carlo Manfroi
Hortaluz
 
Carlo Manfroi é publicitário pós-graduado em gestão de marketing interativo e mídias sociais, professor, escritor e empreendedor. Trabalha com o conceito de grupos na gestão do espaço público como local de aprendizagem coletiva e individual. No empreendedorismo social, desenvolveu o Parque Ideias, projeto selecionado para o Social Good Brasil Lab e incubado pelo Sebrae. A Hortaluz, um de seus frutos, é uma horta comunitária e educativa que funciona no Parque da Luz, no Centro de Florianópolis.
 
20. João Malavolta
ECOSurf
 
João Malavolta é Jornalista e Design Gráfico, Técnico em Meio Ambiente e graduando em Geografia. Começou a trabalhar na área ambiental no ano de 1998, no litoral paulista, quando fundou o Instituto Ecosurf. Já foi membro do Comitê Organizador da III Conferência Nacional de Meio Ambiente - CNMA (2009), secretário da Rede de Agendas 21 da Baixada Santista e Litoral Norte. Coordenou em 2012 fóruns socioambientais durante a Rio+20 (Conferência das Nações Unidas para o Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável). Em 2014 foi o único Latino Americano a participar da Expedition Plastik - expedição científica que percorreu o Oceano Índico produzindo um documentário para a televisão Suíça sobre a poluição dos oceanos pelo plástico. Através do Instituto Ecosurf se tornou embaixador voluntário da ONU Meio Ambiente para a campanha #MaresLimpos e foi Gerente da Base do Veleiro “Clean Seas” durante a etapa da Volvo Ocean Race no Brasil.
 
21. Pedrão
Vereador
 
Eleito vereador por Florianópolis em 2016, Pedro de Assis Silvestre, tem como uma de suas principais bandeiras dentro da Câmara o meio ambiente. Propôs e aprovou a Lei Complementar contra o descarte indevido de santinhos políticos em período eleitoral; Estão em tramitação: Projeto referente à compras sustentáveis dentro da Administração Pública, Projeto de Resolução que proíbe a Câmara Municipal de Florianópolis a comprar materiais plásticos de uso único, Projeto que substitui as sacolas oxibiodegradáveis por biodegradáveis, Projeto de Lei que Institui a Política Municipal Lixo Zero em Florianópolis.
 
OCEANOS E BIODIVERSIDADE
 
1. Patrícia Fernandes Barbosa
Ministério do Meio Ambiente
 
Bióloga, especialista em gestão ambiental, Analista Ambiental do Departamento de Educação Ambiental do Ministério do Meio Ambiente e coordenadora do Circuito Tela Verde, projeto do MMA que há 10 anos estimula a produção audiovisual independente sobre as questões socioambientais, com o intuito de democratizar o acesso e dar voz à diversidade de realidades do Brasil.
 
2. Maira Proietti
Lixo Marinho FURG
 
Oceanóloga e doutora em Oceanografia Biológica, é professora adjunta do Instituto de Oceanografia da FURG e professora permanente do Programa de Pós-graduação em Oceanografia Biológica desta instituição, atuando no ensino e pesquisa de genética e lixo marinho. Começou a investigar a poluição plástica marinha em 2014 e hoje coordena o projeto "Lixo Marinho FURG", que objetiva avaliar de forma interdisciplinar as concentrações, características e impactos dos plásticos nos ecossistemas costeiros e marinhos, e buscar soluções para este problema ambiental que é considerado um dos mais sérios da atualidade.
 
3. Rafael Pinheiro
Projeto Golfinho Rotador
 
Graduado em Ciências Biológicas com ênfase em Biologia Marinha pela Santa Cecília –Santos –SP. Atualmente é Coordenador de Pesquisa do Projeto Golfinho Rotador (www.golfinhorotador.org.br), criado em 1990 é um dos maiores programas de conservação de golfinhos do mundo. Tem experiência prática nas áreas de Ecologia Comportamental, Cetologia, Unidades de Conservação, Ativismo Pacífico e ações de Pesquisa, Educação Ambiental, Sustentabilidade e Envolvimento Comunitário. 
 
4. Juliana Leonel 
TETis/Desafio ao Oceano Limpo
 
Oceanóloga pela FURG com doutorado em oceanografia química pela USP é hoje professora da UFSC. Sua área de pesquisa é a poluição marinha. Atualmente desenvolve projetos sobre a contaminação do ambiente marinho (sedimento, água, biota) por compostos orgânicos persistentes bem como por resíduos plásticos. Além disso, é editora do Bate-Papo com Netuno, uma plataforma de divulgação científica formada exclusivamente por mulheres.
 
5. Márcio Gerba
Route Brasil
 
Cofundador do Route Brasil, ambientalista, surfista e sonhador. Gota a gota ele e um grupo de ativistas tem buscado alertar a sociedade sobre a imensa quantidade de lixo que tem ido parar nos mares por meio do documentário Uma Gota.doc e inúmeras ações de limpeza de praias, rios e lagoas.
 
6. Tatiana Neves
Projeto Albatroz
 
Bióloga, fundadora e Coordenadora Geral do Projeto Albatroz desde sua criação, em 1990 até os dias atuais e Diretora Executiva do Instituto Albatroz, criado em 2003É bióloga com mestrado em Oceanografia Biológica pela Universidade Federal do Rio Grande – FURG Com experiência na área de oceanografia biológica, com ênfase na conservação de aves marinhas, atua no desenvolvimento de tecnologias para evitar a captura de albatrozes e petréis nas embarcações de pesca oceânica. Participa regularmente de reuniões internacionais voltas à conservação marinha e foi autora principal do Plano de Ação Nacional para Conservação dos Albatrozes e Petréis PLANACAP, publicado pelo IBAMA em 2006 e do qual é Coordenadora Executiva. 
 
7. Orestes Alarcon
Veleiro ECO
 
Engenheiro Metalúrgico e doutor em Engenharia de Materiais pela UNICAMP. Professor titular do Departamento de Engenharia Mecânica e Materiais da UFSC. Atua na área de inovação tecnológica, coordena a Rede Sibratec e é idealizador do Veleiro ECO e da Balsa Mecanizada para Maricultura. Na área da Ciência e Tecnologia do Mar, coordena um projeto CAPES Ciências do Mar II, no qual desenvolve junto ao LabSolda - processos de soldagem subaquática, além de um equipamento com sensores para monitoramento das propriedades da água do oceano.
 
8. Zelinda Leão
Instituto de Geociências/UFBA
 
Diplomada pela UFBA, tem doutorado em Geologia Marinha pela Universidade de Miami. Realiza pesquisa nos recifes brasileiros há mais de 30 anos. Tem inúmeras publicações sobre os recifes de coral do Brasil. Nos últimos anos tem coordenado uma equipe treinada para, entre outros aspectos, avaliar as condições dos recifes da Bahia, estudando os processos bióticos e abióticos atuantes no ambiente recifal e as condições da fauna construtora das estruturas recifais. 
 
9. Daniel Rogério
Projeto TAMAR
 
Biólogo e Executor Técnico do Projeto Tamar Florianópolis atuando nas áreas de educação ambiental e manejo das tartarugas marinhas há cerca de cinco anos. O Projeto Tamar começou em 1980 a proteger as tartarugas marinhas no Brasil e a Fundação Pró-Tamar é a principal executora das ações do PAN - Plano Nacional de Ação para a Conservação das Tartarugas Marinhas no Brasil do ICMBio/MMA. O TAMAR trabalha na pesquisa, proteção e manejo das cinco espécies de tartarugas marinhas que ocorrem no país, todas ameaçadas de extinção.