Será que a América sobreviverá a Washington?

20 de Novembro de 2017, por Paul Craig Roberts


Em colunas recentes publicadas no meu sítio web chamei a atenção para dois desenvolvimentos dramáticos e perigosos entre as duas principais potências nucleares. 

Um foi a declaração pública do vice-comandante da Operação Comando dos militares russos numa recente conferência de segurança em Moscovo. O Ten. Gen. Viktor Poznihir, Vice-Chefe do Directório Principal de Operações das Forças Armadas Russas, declarou na Conferência Internacional de Segurança de Moscovo que o Comando de Operações do Comando Geral Russo concluiu que Washington está a preparar um primeiro ataque nuclear à Rússia. www.paulcraigroberts.org/2017/05/11/are-you-ready-to-die/ 

O outro é a informação de que os EUA estão a coleccionar DNA russo para o laboratório de armas da US Air Force, com a implicação de que os EUA pretendem investigar se pode ser criada uma bio-arma que só atinja russos. www.paulcraigroberts.org/2017/11/01/washingtons-barbarity-reaches-new-heights/ 

Tanto quanto posso verificar, estes espantosos desenvolvimentos nunca foram relatados nos media dos EUA. Alguém poderia pensar que a Casa Branca teria telefonado a Putin para dar garantais de que os EUA não estão a planear um ataque nuclear de surpresa à Rússia. Também se poderia pensar que a publicação de contratos dos EUA para [obter] DNA russo teria resultado imediatamente numa ordem do presidente Trump para interromper o referido projecto. 

Mas nada disso. 

Ao invés disso, os débeis mentais que nos dominam contentam-se em enviar duas mensagens sucessivas à Rússia de que pretendemos liquidar o seu país. 

Pode-se imaginar algo mais temerário e imprudente do que convencer uma potência nuclear de que visamos a sua destruição? 

Onde estão os media americanos e europeus? Os presstitutos estão ocupados a repetir infindavelmente as mentiras do complexo militar/segurança e acerca do "Russiagate". Alternativamente, os presstitutos concentram-se no que será o hino da National Football League. 

Estamos a experimentar o fracasso total da liderança de um país. 

Enquanto ameaçam a Rússia, o complexo militar/segurança e os presstitutos estão simultaneamente a criar uma fatídica russofobia entre as populações estado-unidenses e europeias. www.globalresearch.ca/... 

O presidente Trump, após o seu recente encontro não oficial com o presidente Putin, disse que acreditava em Putin quando disse que não houve interferência governamental russa nas eleições dos EUA. Isto pôs em acção uma cacofonia de denúncias de presstitutos, de políticos burros e de responsáveis militares e de segurança corruptos. Ver Stephen Lendman: http://stephenlendman.org/2017/11/uproar-trumps-remarks-putin/ 

Recentemente destaquei que estas ameaças altamente visíveis aos russos são estúpidas considerando a inferioridade militar dos Estados Unidos. O Saker concluiu que eu estava correcto na minha avaliação. www.paulcraigroberts.org/... 

O Saker apresentou agora consideráveis pormenores que documentam a superioridade militar russa. Se os débeis mentais em Washington persistem na sua agressão insana contra a Rússia, os EUA desaparecerão completamente da face da terra e provavelmente também os seus burros vassalos europeus. Aqui está a apresentação do Saker: http://www.informationclearinghouse.info/48185.htm 

Enquanto isso, continua o esforço para manter os americanos e europeus totalmente ignorantes de tudo o que está realmente a acontecer, substituindo as explicações controladas por Washington da realidade. Por contar a verdade, o serviço noticioso da RT está a ser forçado a registar-se como "agente estrangeiro" sob a Lei de Registo de Agentes Estrangeiros. www.globalresearch.ca/... 

Por outras palavras, a Primeira Emenda, juntamente com o resto da Constituição dos EUA, foi revogada pela afirmação do poder bruto de Washington, não limitado pela lei ou mesmo pela moralidade. 

Segundo a informação (acima) no Global Research, "Este mês, uma organização auto-denominada European Values Think-Tank, com sede na República Chéquia e financiada pela Embaixada dos EUA e fundações associadas ao bilionário George Soros, acaba de publicar uma lista, incluindo os nomes de 2.300 convidados da RT, agrupados em políticos, jornalistas, académicos e celebridades dos EUA e Reino Unidos. Estes indivíduos são, segundo o think tank, "idiotas úteis" para uma "potência estrangeira hostil". 

Não estou a brincar quando lhes digo "não esperem viver muito mais tempo". Somos dominados por estúpidos, insanos, psicopatas os quais acreditam que os EUA são invulneráveis. Estes imbecis provavelmente vão varrer-nos da face da terra. Se não estiver preocupado por o governo dos EUA estar a preparar um combate com a Rússia (e a China, Coreia do Norte e Irão também), há algo de errado consigo.