International cooperation in Haiti: organization for what?

Autores: 
Rodrigo CostaSueli Goulart Silva

Resumo

Este artigo objetiva refletir sobre contradições da cooperação internacional para o desenvolvimento no Haiti, resumidas em duas perspectivas: cooperação Norte-Sul (CNS) e cooperação Sul-Sul (CSS). A dinâmica das relações pode misturá-las (CN-SS). Identificamos atores governamentais e não governamentais, na área da saúde, vinculados à OCDE, à ALBA-TCP e à UNASUL como fontes empíricas para a reflexão. A OCDE se orienta, predominantemente pela CNS, ou seja, pelo compromisso de assistência que os países desenvolvidos oferecem aos subdesenvolvidos. Opera principalmente através de ONGs. Nas ações da ALBA-TCP e da Unasul predominam a perspectiva da CSS: comprometimento solidário entre nações iguais. Enfatizam a parceria horizontal baseada na solidariedade, no respeito à soberania e peculiaridades de cada país. A retomada das categorias imperialismo e internacionalismo contribui para compreensão e análise das contradições na agenda internacional do desenvolvimento, ilustradas pelas formas mediante as quais esses diferentes atores organizam suas ações no Haiti. Enquanto as dos países da OCDE denotam mecanismos geopolíticos hierárquicos, as ações dos países vinculados à ALBA-TCP e da UNASUR sugerem possibilidades de superação desses mecanismos, buscando a cooperação genuína e autodeterminada.