Oswald de Andrade, o salva vidas da literatura brasileira

Autores: 
Gilberto Felisberto Vasconcellos

Resumo

Este artigo aborda a leitura de Oswald de Andrade feita pelos poetas concretos (Augusto de Campos, Haroldo de Campos e Décio Pignatari) de São Paulo a partir da década de 60. Essa releitura de alta densidade formal não deixou de ensejar uma crítica histórica e marxista em muitos jovens intelectuais da época, tanto na crítica literária quanto na crítica musical, notadamente o ensaio De Olho na Fresta. Faz um balanço da influência nacionalista e marxista, incluindo o escritor Darcy Ribeiro e o político Leonel Brizola, tendo como influência desencadeadora Oswald de Andrade, não obstante ter sido este escritor modernista adversário de Getúlio Vargas de 1930 a 1954.