O mecanismo da superexploração da força de trabalho e a crise estrutural do capital

Autores: 
Maria Goreti Juvencio Sobrinho

Resumo

Em face das sucessivas ofensivas que a autocracia burguesa vem impondo ao trabalho no Bra-sil, como as reformas trabalhista e previdenciária, a fim de subtrair, ainda mais, da classe tra-balhadora as suas condições mínimas de sobrevivência e transformá-las em fundo de acumu-lação do capital, é oportuna a retomada de algumas teses do cientista social brasileiro Ruy Mauro Marini (1932-1997. O presente artigo aborda especialmente o fundamento da economia dependente/subordinada e as implicações da globalização do capital sobre o trabalho, segundo Marini. Ao final do texto, sugere-se uma aproximação entre a tese desse autor sobre a extensão da superexploração da força de trabalho aos países centrais e a de I. Mészáros relativa à equalização, para baixo, das taxas diferenciais de exploração.