Crítica ao ativismo exceptivo que confronta a democracia normativa: aspectos disfuncionais nas decisões judiciais

Autores: 
Maria da Graça Marques GurgelPlínio Régis Baima de Almeida

Resumo

No Brasil, o fenômeno da judicialização da política ultrapassa alguns limites da compreensão comum da Constituição da República de 1988. O Judiciário brasileiro em algumas decisões, sobretudo as de natureza político-constitucional, constrói normas gerais que se afastam da compreensão material comum, parecendo ir ao encontro de outras razões presentes na atual política. Neste estudo, apontam-se alguns casos desse desvio, o qual se crê afrontar a democracia textual. É que, ao estabelecer políticas com normativas gerais exceptivas à efetivação da democracia textual, ou mesmo em desencontro com os princípios políticos que lhe referenciam, adota-se o ativismo que aqui se questiona.