GECUPOM/FUTEBOL

Poucos esportes evoluíram tanto nas últimas décadas quanto o futebol. Se percebermos todos os processos evolutivos do futebol, principalmente no Brasil, no século passado, veremos que estamos diante de um complexo desporto. O futebol traz consigo relações que são ao mesmo tempo científico/pedagógicas e sociológico/culturais. 

Talvez por tudo isso é que tenha se tornado tema de interesse de diversas áreas acadêmicas, entre elas a Educação Física, a Sociologia, a História e a Antropologia – só para citar algumas ­, que tomaram o futebol como “objeto” de pesquisa.

Desde o “surgimento” do futebol na sociedade brasileira no final do século XIX, e inicio do século XX, da sua proibição para negros e pobres, da sua profissionalização, dos mundiais de 1958, 1962, 1970, 1994, do futebol­empresa e o subseqüente mundial de 2002, 2006, 2010 e 2014, muita coisa mudou. Do futebol do “campinho”, da “pelada” descontraída com hora para iniciar mas sem hora para acabar, ao futebol ensinado cientificamente nas escolinhas, sob a orientação agora de um técnico, dando um novo sentido e um novo significado no processo de ensinar futebol, muita coisa mudou.

Do futebol de “cantinho” de página de jornal, do futebol “ópio do povo” de Lima Barreto ­resistente à disseminação do futebol e de seus espaços ganhos na mídia, passando pelas instigantes e polêmicas colunas de Mario Filho à programação esportiva dos canais de televisão e emissora de rádios, muita coisa mudou. 

Do futebol amador ao futebol profissional, dos “treinamentos” realizados em encontros no final de tarde, ao futebol “treinado” diariamente com a “novidade” do “individual” ­ assim então chamado na época o mais “recente” método de treinamento físico executado sob a coordenação do fisicultor ­, do futebol­arte ao futebol­força, da evolução científica dos métodos e sistemas de jogo, da evolução do treinamento desportivo, e da supervalorização da performance dos atletas, muita coisa mudou.

Para investigar e intervir nos ambientes de ensino e poder do futebol criamos o GECUPOM/FUTEBOL que tem como foco de suas ações a intenção, pesquisa sobre algumas da manifestações e contextos de práticas do futebol, assim enunciados: futebol e seu processo de ensino/aprendizagem; futebol e suas relações sócio/culturais, e o futebol alto rendimento (avanços científicos na estrutura de treinamento do futebol. Acreditamos que somente uma discussão e reflexão no âmbito coletivo e interdisciplinar com pesquisadores de outros campos de conhecimento, na troca de informações, na comunhão de idéias, é que poderemos perceber os fenômenos sócio­históricos/científico­culturais que permeiam o complexo mundo do futebol e dos esportes modernos. Assim, o GECUPOM/Futebol é um dos grupos de estudos do Vitral Latino Americano de Educação Física, Esportes e Saúde do CDS (Centro de Desportos)/UFSC e vinculado ao IELA – Instituto de Estudos Latino­Americanos da UFSC.