Contradições de classe nos Andes boliviano: tensões entre camponeses e indígenas?

Autores: 
Yan Zehuri

Resumo

Este artigo se propõe a analisar os movimentos CSUTCB (Central Sindical Única de Trabajadores Campesinos de Bolivia) e CONAMAQ (Consejo de Ayllus y Markas del Qollasuyo) durante os governos de Evo Morales. Faremos uma breve reconstituição histórica da formação do campesinato e a sobreposição da comunidade indígena, para demonstrar que este processo fundou uma contradição no campo boliviano. Tanto CSUTCB quanto CONAMAQ compuseram uma frente única (Pacto de Unidad) de apoio ao governo Morales, apesar de suas diferentes concepções políticas quanto ao conceito de camponês e indígena. Em 2011, tal aliança se rompe e o CONAMAQ passa a se opor ao governo ao lado de outro movimento da região amazônica, enquanto a CSUTCB se mantém ao lado de Morales. A formação de um campesinato boliviano nos Andes estabelece as condições para uma divisão de interesses, entre os que agora criticam o governo Morales e aqueles que o apoiam.