Limites ao processo de redução das desigualdades sociais na América Latina

Autores: 
Ana Cordilha

Resumo

A proposta deste artigo é analisar a estratégia de redução das desigualdades sociais característica de governos latino-americanos a partir da década de 2000 e suas possíveis limitações no que se refere à promoção efetiva de maior equidade social no longo prazo. Tais barreiras dar-se-iam principalmente devido (i) à expansão de um modelo neoliberal de Política Social, calcado na crescente focalização e mercantilização de bens e serviços essenciais; (ii) aos avanços no mercado de trabalho como fator de liderança do processo recente de inserção social, caminho vulnerável aos ciclos econômicos e restrito a uma parcela da população, em detrimento ao fortalecimento de sistemas institucionalizados de Proteção Social; e (iii) pela elevada fragilidade e/ou regressividade dos sistemas tributários da região.