Martin Almada pede liberdade de Julian Assange

21 de Agosto de 2019, por IELA

Martin Almada - o que descobriu o Plano Condor
Martin Almada - o que descobriu o Plano Condor

O paraguaio Martin Almada, Prêmio Nobel Alternativo de 2002 3 membro do Comitê Executivo da Associação Americana de Juristas (AAJ), se une às milhares de vozes que clamam pela liberdade de Julian Assange. Ele está preso na Inglaterra, vivendo um processo de tortura física e psicológica, podendo ser, inclusive, extraditado para os Estados Unidos. Sobre ele pesa crime nenhum, a não ser o de divulgar a verdade sobre os governos e os poderosos.

A Liberdade de expressão em perigo, pilar fundamental de uma sociedade livre

Expresso minha indignação com a flagrante violação dos direitos humanos de Julian Assange primeiro como um asilado do Estado equatoriano em Londres e depois como prisioneiro comum em uma prisão de alta segurança na Inglaterra.

Esta é a prova de que estamos passando por um momento difícil. Lamentamos que algumas consciências de pessoas importantes tenham se entregado no Equador ou estejam à venda pelo maior lance. É o topo do imoral no século 21.

Ficou provado que a WIKI LEAKES é a única organização jornalística internacional que tem 100% de precisão e autenticidade. 

A ONU dá toda a razão para Julian Assange e considera sua prisão arbitrária. Especificamente, o Grupo de Trabalho da ONU afirma que, no caso de Assange, os artigos 9 e 10 da Declaração Universal dos Direitos Humanos e os artigos 7, 9, 10 e 14 do Pacto Internacional sobre Direitos Civis e Políticos foram violados. O Grupo de Trabalho é formado por cinco juristas de renome que atuam individualmente e trabalham independentemente de qualquer governo ou organização.

Este novo ato criminoso constitui um forte alerta das potências imperiais para o trabalho da imprensa livre, uma alternativa que funciona para um mundo multipolar justo e solidário.

Não vamos esquecer que Julian Assange colocou sua própria vida e segurança em risco por uma causa humanitária.

Nós exigimos liberdade imediata para o nosso herói CIVIL.

MARTIN ALMADA - PRÊMIO NOBEL ALTERNATIVO 2002 e MEMBRO DO COMITÊ EXECUTIVO DA ASSOCIAÇÃO AMERICANA DE JURISTAS (AAJ), REDH