Mais um volume da Coleção Pátria Grande, do Iela

20 de Setembro de 2021, por Elaine Tavares


A editora Insular acaba de lançar mais um volume da Coleção Pátria Grande - Biblioteca do Pensamento Crítico, do Iela, que é coordenada pelo professor Nildo Ouriques. Desta vez o autor é Moniz Bandeira com o clássico “O caminho da Revolução Brasileira”, um trabalho lançado em 1962 que discute esse tema tão raro entre os intelectuais de esquerda brasileiros, já que a maioria pensa a política unicamente dentro dos limites da administração capitalista. 

A tematização da revolução brasileira, diz Nildo Ouriques, que Bandeira apresenta no livro, é sempre vista como uma ameaça para os liberais de direita, e como inoportuna, indesejável e até impossível para os liberais de esquerda. E é justamente para romper com essa ideia que o Iela republica esse clássico de Moniz Bandeira, porque ele representa o auge da consciência crítica que habitava o interior da esquerda existente antes da ditadura militar que tomou o país em 1964. 

Ouriques aponta que “no texto de Moniz Bandeira as breves considerações de ordem moral estão subordinadas a análise marxista do desenvolvimento capitalista, indicando tanto a base material da degradação do trabalhador brasileiro quanto a impossibilidade de emancipação nos marcos da ordem burguesa. O leitor poderá observar o quanto a esquerda brasileira retrocedeu na atualidade no terreno teórico (histórico também) quando comparada ao debate do período imediatamente anterior ao golpe cívico-militar de 1964. É minha esperança que ao ler esse livro, a juventude e os trabalhadores talvez possam pelo menos desconfiar que uma ditadura de 21 anos foi historicamente necessária para a dominação da burguesia no Brasil precisamente porque, em caso contrário, as massas conduzidas pela esquerda poderiam tomar o poder. Tal como anunciou, personagem central daquela trama, os trabalhadores já estavam no governo, precisariam tomar o poder. No entanto, a tomada do poder pelas classes subalternas dependia precisamente da superação de vacilações e ambiguidades políticas derivadas diretamente da falta de precisão da análise crítica do capitalismo no país realizada por Moniz Bandeira”. 

Moniz Bandeira em "O caminho da revolução brasileira", apresenta um postulado geral que poderia ser aplicado a toda revolução, e também aponta as razões pelas quais a revolução se aproximava a passos largos uma vez que naqueles dias (pré-1964) o poder estava, de fato, em disputa na sociedade brasileira. O livro expressa o espírito de uma época marcada por uma forte disputa teórica e política no interior da esquerda e de suas organizações e mostra que ainda é preciso elaborar uma teoria da revolução brasileira.

Conforme Nildo Ouriques, a publicação de "O caminho da revolução brasileira" afirma a importância da interpretação marxista da realidade nacional e registra a imensa capacidade intelectual de destacados militantes da esquerda revolucionária de outros tempos. “Nesse contexto, pouco importa as opções política e teóricas que Moniz Bandeira – e outros tantos – assumiram em anos posteriores. Essa obra tem o selo de uma época luminosa que, a despeito da derrota política, deixaram uma herança que todos aqueles que estão levantando a bandeira da Revolução Brasileira não podem ignorar”.

O livro já está nas livrarias e pode ser também adquirido pelo site da Insular.

www.insular.com.br